cep = anos 90 e 00

20 ANOS ESSA NOITE
ARREPENDEI-VOS E REJUBILAI-VOS !!! O CEP 20.000 ESTÁ NO AR !!!
E.C. SÉRGIO PORTO (RUA HUMAITÁ, 163 – FUNDOS)
o cep faz 20 anos. tempo de batalha e delícias, luta e prazer. tal e qual a vida. imensa foi a alegria de compartilhar com a galáctica galera um pouco da suave ferocidade chamada cep.
então bola pra frente. fazemos 20 anos nessa quarta feira, dia 25 de agosto. faremos um super- cep pra comemorar esses anos todos e já festejar os próximos. o cep como a vida, não para. mesmo que ganhe outro
apelido, o cep é quase imorrível porque ele é mais que um espaço e um nome.
ele é aquela coisinha que insiste em dizer que a vida vale a pena, que é curta, mas não é pequena.
ainda e sempre juntos, vamos nessa, afinar o coro dos descontentes, comemorar a vida, afinar o verso, entoar canção.
dia 25 estamos lá. quem quiser, pegue a senha e espere a hora, para dar um
“alô cep”, estamos juntos, amalgamados pela vida.
saudações cépicas !!!!
quarta – 25 / 08 // 20:30 / 5,00.
OPAVIVARÁ – DIAHUM – OS AZUIS – COLETIVO CACHALOTE – PLÁSTICO BOLHA – FALAPALAVRA – SETE NOVOS – ESTRONDO –
GREGÓRIO DUVIVIER – ALICE SANT’ANNA – DOMINGOS GUIMARAENS – MARIANO MAROVATTO – AUGUSTO GUIMARAENS – LUCAS VIRIATO – ISABEL WILKER –
ISMAR TIRELLI NETO – CARLOS ANDREAS – GABRIELA BONOMO – ELISA PESSOA – GABRIELA MARCONDES – NANA CARNEIRO – VALESKA DE AGUIRRE – CARLITO AZEVEDO – CRISTINA FLORES – GABRIEL FOMM – CHACAL – MIMI LESSA – JONAS SÁ – FAUSTO FAWCETT – CARMEN MOLINARI – CHARLES PEIXOTO – RONALDO SANTOS – LUI FONTES – MASÉ LEMOS – ALEX HAMBURGER – PEDRO LAGE – CABELO – PEDRO LUÍS –
TAVINHO PAES – ARNALDO BRANDÃO – JUJU HOLANDA – BEATRIZ PROVASI – BETINA KNOPP – AIMBERÊ CESÁR – PEDRO ROCHA – EBER INÁCIO – DADO AMARAL – ERICSON PIRES – QUINHO – OMAR SALOMÃO – BOTIKA – VITOR PAIVA – ERNESTO SENA – ROMÃ NEPTUNE – BÁRBARA ARAÚJO – ANDRÉ PESSOA – BIANCA RAMONEDA – PAULO
LINS – VIVIANE MOSÉ – NIL – MAURIÇÃO – CARLUXO – DANIEL SOARES – DUDU PERERÊ – DALBERTO GOMES – MANO MELO – CLAUFE RODRIGUES – GUILHERME LEVI – GUILHERME ZARVOS – JUSTO D’ÁVILA – SAMUEL AVEMBURG – ZUCA ZARDANA
E QUEM MAIS CHEGAR PARA GOZAR O PASSADO E MIRAR O FUTURO
NO PRESENTE NO PRESENTE NO PRESENTE

26/07/2010
CEP 20.000, cada vez mais Plástico Bolha,
convida para para o evento que ocorrerá nessa quarta-feira, dia 28, 20:30h, no Espaço Cultural Sérgio Porto. Banho de Língua: com participação do Prof. Antonio Mattoso, que lerá poemas em grego antigo e latim, Lucas Viriato, que lerá poemas em sânscrito e italiano e Isabel Wilker, que lerá poemas em inglês e francês. Também participa do CEP a banda de música irlandesa Café Irlanda, do nosso autor Henrique Meirelles, entre outros. A programação completa vai no anexo. Apareçam!
ESPAÇO CULTURAL SÉRGIO PORTO
rua humaitá, 163
quarta, 20:30 / 5 reais
ROBERTO PIVA POR 7 NOVOS
CRIANÇAS INSUPORTÁVEIS + THE ALBERTO
André Capilé + Beatriz Bastos + Augusto Guimaraens + Andytias Soares
ESPAÇO PLÁSTICO BOLHA: BANHO DE LÍNGUA
Antonio Mattoso + Isabel Wilker + Lucas Viriato
CAFÉ IRLANDA
JONAS SÁ
JULIO CALLADO
FERNANDO DELAROQUE

dia 25 de agosto = festa de 20 anos do cep

29/06/2010
A POESIA PROPRIAMENTE DITA
ESPAÇO CULTURAL SÉRGIO PORTO
QUARTA – DIA 30 DE JUNHO
20:30 – 5 REAIS
FLASH BACK 70
UMA SELEÇÃO INESQUECÍVEL
20:30 – vídeo: O BEIJOQUEIRO de CARLOS NADER
21:00: relançamento do livro
“MUITO PRAZER” de CHACAL
ANA KUTNER e PAULO JOSÉ falam ANA CRISTINA CÉSAR.
MASÉ LEMOS – poemas seus e de LUIS OLAVO FONTES
MARIANO MAROVATTO – poemas seus e de CACASO
CRISTINA FLORES e CHACAL – poemas do MUITO PRAZER
AUGUSTO GUIMARAENS por AUGUSTO GUIMARAENS
21:30: a estréia do PLÁSTICO BOLHA no CEP
uma homenagem a JAMES JOYCE.
com
ANDRÉ CAPILÉ lendo passagem de Stephen Dedalus
MARIANO MAROVATTO lendo passagem de Leopold Bloom
ISABEL WILKER lendo passagem de Molly Bloom
e a banda CAFÉ IRLANDA.
Escrito por cepchacal às 04h38
[ (0) digaí ] [ envie esta mensagem ] [ link ]
28/05/2010
.
CEP DE MAIO DE 2010
Ontem teve CEP. Ainda com o tempo incerto. Acho que preciso contratar o Cacique Cobra Coral para fazer sua dança anti-água. Em 20 anos de CEP 20.000, me gabava de nunca ter chovido nos dias D. Mas de uns dois anos para cá, desde que fomos para o Teatro do Jockey, depois do fogo no Sérgio Porto, que São Pedro faz questão de mandar chuva. Dia de CEP já ponho minhas barbas de molho.
Mas ontem mais uma vez, a poesia vigorou. Desde o início com As Insupotáveis Crianças (Marília Garcia, Alice Andrade, Victor Heringer, Domingos Guimaraens) + Dimitri Br (nos climas diversos) que a poesia fez sua graça. Confesso que ainda sinto falta de mais punch. Não que o poema tenha que ser vociferado como fazíamos durante um bom tempo no CEP, como que as palavras que saíam a fórceps de dentro de cada poeta, tivesse que entrar no berro em cada pessoa da platéia. Tava errado. Agora acho só a leitura um pouco pouco. È lindo a presença dos poetas, o jeito de cada um falar, a dinâmica das vozes. Mas creio que o poema ainda pode ser melhor transmitido. Mas o CEP é isso: centro de experimentação. Sem medo de errar. A vida não tem erro nem acerto. Tem tentativas de melhorar. O mais legal é que existem poetas, pessoas entestadas com as palavras e que se encontram no CEP para delirar deveras. Esse mundo caretinha, cartão de ponto, projeto, objetivo, justificativa, orçamento, release, circular, tem que dar meia trava uma vez por mês para ver essas crianças insuportáveis ler seus versos, viver suas vertigens.
Crianças insuportadas, adentra o gramado, Mariano Marovatto, o mentor, com sua Maravilha Contemporânea. E vez chover. Dois violões, uma batera exata e a pianista Alice. Foi um show de talento e paixão. Mariano tem o bicho pop instalado no corpo. Abriu com um Paralamas irretocável. E foi. Lá no fim, Luiz Antônio ou Zé Augusto, tanto faz, aquele que não foi porque o Rei chegou primeiro. Mas Zé se vingou do Rei que a interpretentação do Mariano. Cantou se rasgando, debruçado sobre o piano de doralice, a mais sequelada balada de amor dos últimos tempos. Já tinha visto aquilo raras vezes. Com Alex Hamburger no próprio CEP, cantando um Roberto e uma vez no Mistura Fina, um beijo de longa metragem. Quem? Quando? Deixa pra lá. Mariano, és, mais que o rei. A grei agradece.
E na seqüência subiram ali no chão, a poeta loura, Laura Liuzzi e o poeta prosa Lucas Viriato. Duas pérolas do nosso cancioneiro ilustrado. Eles abriram um novo quadro que espero duradouro: o Em Lançamento. Poetas, escritores que estejam lançando livros, para lançá-los literalmente no CEP. Se nunca conseguimos fazer bons lançamentos no CEP, por falta de hábito de se comprar livros lá, ao menos o poeta mostra a cara, o livro e dá uma palinha do seu trabalho. Ali de poeta para poetas, de escritor para escritores. Vai melhorar quando o CEP conseguir minimamente se digitalizar. Um dia. (Em tempo: fiquei muitíssimo emocionado e feliz com a presença de Sérgio Liuzzi, pai da Laura, arquiteto, desing e responsável pelas ilustrações do meu primeiro livro “Muito Prazer” e por meu nome de guerra, Chacal. Ave Liuzzi! Sangue bom e sua finíssima estirpe).
Aí falei eu. Esqueci um poema. Retomei e fui até o fim. Não é muito bom, apresentar e se apresentar. A gente joga muita conversa fora para tapar os buracos que sempre vão pintando.
(Será que é o desconforto com o silêncio?)
E tem dias que falta luz. Depois vc vai apresentar seu número e ele não binga. Vaias pra que te quero. Deu vontade de me autotomatar-me. O CEP, com a ajuda da 7 Letras, está em transe. Muda de estilo, de década, de onda. Vamos chegar já já a algum lugar. Espero que seja lá.
O Teatro do Nada entrou rasgando. Fez improviso à moda Nelson, a la Tarantino. Eles tem a essência do CEP. Não fosse o grupo do ausente (por ossos do ofício) mas sempre presente, Éber Inácio. Ao sabor das ondas, do vento, da vida. É a invenção em estado bruto. O CEP abraça e abarca. A cena, o som, a palavra, tudo ali, um depois ao mesmo tempo do outro. Gratíssimo Teatro do Nada.
Por fim, enfim, no fim, fecharam a miss linda cristina flores, minha atriz e diretora favorita. Ficou ali fazendo a festa no palco enquanto Gabriel Fomm e banda de sopros e bateria, tonitroavam o excelente poeta e compositor Sérgio Sampaio. Tomara que o trabalho se firme e renda shows, temporadas, clavicórdios. É a palavra maldita do bardo capixaba de cachoeiro, a mesma do rei, muito bem dita, cantada e dançada. Cris vai experimentando e criando seu personagem extraído do livro de Ieda Magri, aquela que se ouve, mas não se vê. Por quê? Enfim …
(em tempo 2: queridíssimas presenças nesse cep: fausto fawcett que me levou um livro de presente de aniversário: exile in main street, a ga do album duplo dos stones de 71. ave fausto, parceiro de toda vida. minha dulcíssima amiga e pé de valsa, cristina melo, arquiteta e deusa. e a poeta, professora e excelência, mazé (nós) lemos. e também o ricardo dias gomes, sua digníssima, aplicando seu pequeno e grande filho de CEP.
que venham mais. que venham sempre !
.
barrão e laufer em algum cep de aniversário

21/05/2010
ESPAÇO CULTURAL SÉRGIO PORTO
rua humaitá, 163 (fundos)
quarta – 26 / 05 – 20:30 – 5,00.
.
MARIANO MAROVATTO
E AS MARAVILHAS CONTEMPORÂNEAS
TEATRO DO NADA
CRISTINA FLORES + GABRIEL FOMM
gabriel alves – guitarra e violão
gabriel damasceno – bateria e percussão
juliano pires – trombone e tuba
CRIANÇAS INSUPORTÁVEIS vol. 2
( alice sant’anna / marília garcia / victor heringer /
domingos guimarães / dimitri br )
CHACAL
EM LANÇAMENTO:
LAURA LIUZZI / LUCAS VIRIATO.

29/04/2010
UM STRADIVARIUS NA CHUVA / CEP DE ABRIL DE 2010
zuca sardana
Teve um CEP ontem. Clássico. Didático. As always. Agora com a abertura de um grupo falando seus poemas acompanhado por um produtor de sons. Ontem foi a estréia mundial da série “Crianças Insuportáveis” Volume I. Com a curanderia de Mariano Marovatto e a presença de mais quatro poetas. Admirei a força e a firmeza da voz de Laura Liuzzi, que recém lançou “Calcanhar” seu primeiro livro pela 7 Letras. Laura tem a perícia de quem escreve com um cinzel. A qualidade de Beatriz Bastos, que não conhecia. Seu poema prosa em tom de conversa fala de flores e gatos bilíngues. Excelência. Lucas Viriato e seus textos viajantes com camelos e elefantes. O Ismar, nem tenho o que falar. O desentortador de penachos e desbravador do esquisito. E Mariano? Anda o diabo. Fez um poema falante, ardiloso, cheio de arbítrios. Gostei da fúria. “Crianças Insuportáveis”: bom pra cachorro. Um coletivo de poetas. Uma poetanagem (poetas com alta octanagem).
Depois um tricolor inspirado, Augusto Guimaraens. Fez sua estréia como Trovador Solitário. Letras /poemas tralalantes estraçalhantes que falam de anjos alienados em momentos de lisergia. Augusto tem a manha. Traz a melodia para dentro de poema e manda bem.
Cristina Flores e Gabriel Fomm revisitaram Ieda Magri. Aí um monólogo com tintas de teatro com a querida Chris e o magistral Gabriel cantando Sérgio Sampaio. Ouvir de novo “Filme de Terror” em que Sérgio mistura “o cemitério do caju com o cine império da tijuca”, machuca fundo. Chris e Gabo lindos. Só eles, uma efeméride.
Então entraram Os Fabulosos com os clowns Cesar Tavares e Marcos Camelo e mais uma menina que faz uma bêbada impagável. Desculpem mas não sei o nome dela. Os Fabulosos fizeram misérias no palco do CEP. Números de prestidigitação. Transmutações de fazer murchar a crista de Paulo Barros da Unidos da Tijuca. A transformação do palhaço Cesar Tavares em algo como uma oncinha estapafúrdia foi de se beliscar. Sim aquilo era verdade. E Marcos o faz saltar um arco em chamas, sob a ajuda tronxa da moça que não sei o nome. Foi um momento grandioso. Grandiloqüente. Um ápice nesses 20 anos de CEP. Grato Fabulosos. Vocês extrapolaram.
Walney Costa entrou e fez sua performance “Poemáscara”. Visualmente um impacto com seu parangolé de Poemáscara. Mas explicou o projeto e perdeu o “timing”. Faltaram os músicos presos na chuva e no trânsito. Mas foi a poesia em performance plástica. E enriqueceu a noite e seu embornal de imprevisíveis atrações. Assim é o CEP há 20 anos. Coisas acontecem que não tenho muito controle. Vou apenas saravando. Isso dá uma algaravia interessante, um mix bem abrangente. Gosto disso. Trabalhar com a diferença, sem deixar de ser seletivo. Mas ontem por conta da chuva e do jogo, com pouco público, o final foi um tanto arrastado.
Isto é, até entrarem Tavinho Paes, Betina Kopp e Arnaldo Brandão. Foi a qualidade dos meus caros dignossauros e a vitalidade genial de Betina. Foi um gran finalle para poucos e felizardos. Um texto inédito e na veia de Tavinho. Um diálogo telefônico entre um político corrupto e uma dama de programa, acompanhado no violão por Arnaldo cantando “Sorria! Você está sendo filmado !”. Um drama a estilo Tavinho, cheio de intrigas e trairagens.
Foi um zíper espetacular para um CEP que fez jus ao nome de Centro de Experimentação Poética. Sem nenhuma pretensão didática, um observador pode perceber o desejo que a palavra tem de se exprimir como um suco de delícias. Seja falada, cantada, atuada, performada, essa coisa ambíqua, feita basicamente para se comunicar, mas que ganhou funções outras, tenta também diversas estratégias para dar o seu melhor de si. Sob o olhar pasmo da Maria e seu cameraman, memória viva do centro.
Que venham mais, que venham outros – o próximo no dia 26 de maio. Em junho só se a Prefeitura quiser. Há de querer, afinal são poetas, músicos, artistas, cidadãos cariocas, tentando sair do registro, experimentando novos ritmos, outras possibilidades de se expressar bem e de ser feliz. CEP 20.000, 20 anos de alkymya dedicados ao Professor Fumegas. Viva Zuca Sardana !
zuca sardana

27/04/2010
vinde ao cep, insuportáveis crianças eletrificadas.
ps: sérgio mello ficou de pintar. se pintar q pinte armado de um texto de sua clarividência. será recebido a pão de ló.

23/04/2010
20 ANOS – 1990 / 2010
ESPAÇO CULTURAL SÉRGIO PORTO
RUA HUMAITÁ, 176 (2266 0896)
QUARTA, 28 ABRIL – 20:30.
5 REAIS – PREÇO ÚNICO.
OS FABULOSOS
CRIANÇAS INSUPORTÁVEIS
BEATRIZ BASTOS, ISMAR TIRELLI, LAURA LIUZZI, LUCAS VIRIATO E MARIANO MAROVATTO
BARTOLO
CRISTINA FLORES & GABRIEL FOMM
AUGUSTO GUIMARAENS
WALNEY COSTA
MOBILE PING-PONG
ARNALDO BRANDÃO, BETINA KOPP & TAVINHO PAES
AUTORES AUTOGRAFANDO
LIVROS DA 7 LETRAS EM PROMOÇÃO.

04/04/2010
LUCA – MUITOS – PRAZERES
aqui vai um link para um texto do Padre Vieira, falado como só ele fala e mandado por Luca Prazeres, um poeta, um amigo, radicado na América de lá.
http://www.youtube.com/watch?v=lPRwwM8H6rc
Escrito por cepchacal às 14h56
[ (0) digaí ] [ envie esta mensagem ] [ link ]
03/04/2010
Meu amigo Fabiano Calixto, poeta, editor do Modo de Usar e tradutor, manda avisar:
Caros Amigos & colaboradores,
Mando a vocês o filme oficial de lançamento do ALMANAQUE LOBISOMEM. Almanaque editado por mim, Flávio Rodrigo Lopes Penteado & Renan Nuernberger. O lançamento mundial será no dia 3 de maio de 2010.
O Link:
http://www.youtube.com/watch?v=v93I_x6iw3k
atenção para o refrão !

“MAIS OVO. MENOS GALINHAGEM” charles peixoto
.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: