ROMÃ NEPTUNE

  romã

FICO E NÃO FICO

Teve um tempo, longo tempo, que romances e novelas terminavam com “e foram felizes para sempre”. Era o tal amor romântico, reflexo de um mundo em que as relações matrimoniais, patrimoniais, eram feitas pra durar. A vida era daquele jeito e pronto. E a morte era celebrada com pompa e circunstância, como a falar sobre o único Mistério.

Eu sou de um tempo em que esse mundo começava a pulverizar. Nosso lema: “Viver aqui, agora”. Família, religião, trabalho, escola, eram colocados em cheque. Cometemos muitos vacilos pq arriscamos a viver sem um modelo. Mães solteiras, pais omissos, filhos carentes, foram tentando se ajeitar entre si. Ou não.

Hoje em que aquele velho mundo virou piada e tudo é líquido, tudo é volátil, tudo é instantâneo, a geração que “fica”, não “fica” e tem saudade do “ficar”.  Essa geração, glória e orgulho do CEP,  já nos rende um poema belíssimo da Romã, parceira num chega junto entre o CEP e o Pedro II no início do século XXI.

Acumulo atravessamentos 

Turistas que, tão logo conhecem minhas paisagens, 

sentem saudade da terra natal

ou tem ânsia de seguir viagem

Todos partem

E carregam consigo pedaços de mim

Quero quem faça de mim morada

Quero quem finque bandeira no meio de minh’alma

Quero gente que fique

                                                                                  Romã Neptune

A terra roda. O mundo muda.

Ter sempre a curiosidade de ver o novo.

E a coragem de viver a vida.

Pela beleza de romã. Pelas barbas de netuno.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: